Apresentação do Cordel Jeito diferente de falar

domingo, 30 de janeiro de 2011

Homenagem a minha terra natal (Exu-PE)


Capa do cordel em homenagem ao centenário da minha cidade

Exu nossa terra amada
De história secular
Que nesta data festiva
Queremos te exaltar
Saudamos teu centenário
Sendo nosso relicário
Iremos sempre te amar.

O nosso Exu centenário
Recanto encantador
Tu és nossa Terra mãe
Ressaltamos teu valor.
Na história é baluarte
Tendo na cultura e arte
Um futuro promissor.

Exu cem anos de glória
De sua emancipação
Obrigado aos fundadores
Aprígio Lopes e Padre João
Também Antonio Tavares
Foram esse os pilares
Além de outros cidadãos.

Essa terra tem história
Tem garra e tradição.
Desde a heroína Bárbara
Além do nosso Barão
Foi berço do cantador
Filho ilustre de valor
O grande Rei do Baião.

O famoso pé de serra
É recanto de beleza
Paisagens encantadoras
Pela bela natureza
Tens potencial turístico
Sendo bem característico
Exuberante riqueza.

Abraçada pela Serra
Que lhe faz um acalento
Ao som do canto dos pássaros
Coral de grande talento
Sempre em alto e bom tom
Essa orquestra traz o som
Do cantarino com o vento.

Nossas origens remontam
A tribo indígena ançu,
Ao fértil vale do Brígida
As abelhas dos inxus.
Portugueses conquistaram
Os frades catequizaram
Nascendo assim o Exu.

Exu velho muito antigo
Novo Exu é centenário
Tens um legado histórico
Nosso belo relicário.
Registro nesse cordel
De uma forma bem fiel
Como um documentário.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Namoro de Antigamente



Vou lhe contar uma estória
De muito tempo atrás
As coisas de antigamente
Eram diferentes demais
As filhas só namoravam
Com aprovação dos pais.

A forma de namorar
Era muito diferente
Ficavam jogando pedrinhas
E os dois sempre contentes
Pra eles isso era o máximo
No namoro de antigamente.

Quando os dois tivessem noivos
E casamento marcado
Era quando se podia
Dar as mãos os namorados
Mesmo assim com vigilância
E com bastante cuidado.

Sentavam lá na calçada
Com a família presente
Os dois sempre distantes
Pois era inconveniente
E uma moça de família
Precisava ser descente.

E quem não cumprisse as regras
Ficava logo falada
Na boca da vizinhança
Não valia era mais nada
A fulana era perdida
E em todo canto apontada.

Nos tempos de lampião
Que vigorava o cangaço
A moça pra ser direita
Tinha que ser cabaço
Eram todas recatadas
Viviam presas a laço.

Um certo compadre meu
Que é metido a valentão
Gostou de uma mocinha
E foi pedir a sua mão
A resposta do pai dela
Foi mesmo um baita não.

Ele todo inconformado
Voltou mesmo foi raivoso
Prometeu dar logo o troco
E fez todo um alvoroço
Vou roubar a filha dele
E começou o destroço.

Foi logo na madrugada
Combinou com a donzela
Quando ouvir o assobio
Já vá pulando a janela
Ele já estava no ponto
E abufelou-se com ela.

Levou ela pra bem longe
Já prevendo o reboliço
Deitando logo com ela
Fazendo logo serviço
Ficava a família obrigada
De firmar o compromisso.

Juarês Alencar Pereira.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Prêmio de valorização dos servidores em educação do Tocantins


Profª Iolando me representando em Palmas

Participei desse Prêmio em 2010, com o Projeto Rimas que Ensinam, sendo um dos nove finalista e vencedores do mesmo. A premiação constava no edital, sendo uma viagem para Gramado-RS. A premiação nunca aconteceu apesar da cerimônia de entrega de certificação em 28-06-2010 na qual fui representado por Iolanda Coelho Castro Diretora Regional, por ocasião do falecimento de minha mãe. Até hoje aguardamos a premiação e esperamos que a nova gestão resolva, afinal de contas quem nos deve é a secretaria e não secretário e somos servidores públicos e não de um governo.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Cultura digital

TECNOLOGIA

Hei... pare, pense, reflita
E preste bem atenção
Esse mundo evoluiu
Isso não é ficção.
Vivemos numa nova era
De grande transformação.

As pessoas se isolam
Na aproximação virtual
Namoram e fazem sexo
Na geração digital.
Estão perto e distante
Isso tudo é natural.

As novidades estão ai
MP3 e celular
Chips e cartão de crédito
A lan House é popular
E com as pontas dos dedos
Na rede vou navegar.

Orkut, msn, email
Blog e site disponível
Bate papo na internet
Acho isso tudo incrível.
No google o conhecimento
Traz a pesquisa possível.

Tudo se tornou mais fácil
Nas ondas da informação
E com um simples teclar
Ta tudo a disposição
Acesso ao conhecimento
Isso é globalização.

Mas uma coisa sentimos
Falta do calor humano
E nada mesmo é perfeito
Só fico me questionando
Às vezes eu me pergunto
Será que vivo sonhando.

Caro amigo professor
E formador de opinião
Não queira ficar pra trás
Aprenda bem a lição
Vençamos o desafio
Não fique na contra mão.

Nessa sociedade atual
De grande transformação
Com seu ritmo veloz
Pela informatização
Os avanços tecnológicos
Promovem a evolução.

Estejamos sempre atentos
Antenados nessa lógica
Temos que estar inseridos
Nessa era tecnológica
Vamos revolucionar
A prática pedagógica.

Juarês Alencar Pereira.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

NOVAS PUBLICAÇÕES DE LITERATURA DE CORDEL

No final de Dezembro ficaram prontos os novos cordéis: Pluralidade Cultural e Mitos Lendas e Crendices e também as novas edições de: A Rapadura, Jeito Diferente de Falar(PE x TO)e Conhecendo o Cordel. Vale a pena conhecer, adquira já o seu na GEP livraria em Palmas, Araguaína e Gurupi.
Confira abaixo trechos dos novos cordéis:

Pluralidade cultural

O nosso país é exemplo
Da grande diversidade
Por sua rica cultura
Sinal de brasilidade
Com todas as diferenças
Mostra a sua pluralidade.

Terra dos muitos sotaques
Cores e manifestações
E com as várias etnias
Preservando as tradições
As diferenças existem
Entre as várias regiões.

Nordestino fala oxente
Que é próprio da região
O mineiro fala uai...
Com muita satisfação
O gaucho já fala thê
E numa forte expressão.

LENDAS MITOS E CRENÇAS

Relato nesse cordel
Todo o eixo imaginário
Destaco mitos e crenças
E tudo que é lendário
São elementos relevantes
Nos estudos importantes
Contos que são relicários.

Existem em nossa cultura
Destaco aqui com franqueza
Valores e tradições
Que são de grande beleza
Elementos do folclore
Embora pouco se explore
Dispomos dessa riqueza.

Nesse eixo se evidencia
Fértil imaginação
Dos que nos antecederam
Deixando essa tradição
Herança de uma cultura
Para as gerações futuras
De grande contribuição.

As lendas mitos e crenças
Vem desde antigamente
Presente no Egito e Grécia
Este povo inteligente
Com os seus deuses lendários
E culto ao imaginário
Crendo assim firmemente.

A RAPADURA

Quero lhe apresentar
Uma verdadeira doçura
Ela é muito popular
E tem consistência dura
É claro que estou falando
Da gostosa rapadura.

Já se tornou iguaria
E faz parte da cultura
Bem desde antigamente
Tem essa nomenclatura
Produzida no engenho
Em alta temperatura.

A importância econômica
Ta registrada na história
Nos tempos coloniais
Era verdadeira glória
Nos livros eu comprovei
Armazeno na memória.

A sua produção iniciou
No Brasil colonial
Sendo a matéria prima
Vinda do canavial
Toda a sua produção
Era bem artesanal.

Matéria do blog da DRE sobre publicação de literatura de cordel

Juarês Alencar - O Cordel em destaque
O Professor Juarês Alencar - Coordenador do Programa da Aceleração da Aprendizagem, nesta Diretoria de Ensino, tem mais uma de suas produções publicadas em documento acessível a professores e alunos. A publicação do Cordel A Áfirica de todos nós foi realizada pelo CENPEC - Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária, no Caderno 3 do Projeto Ensinar e Aprender - Aceleração da Aprendizagem / História - 6º ao 9º Ano. A atual Edição foi Revisada e Ampliada para o Estado do Tocantins/2010 a partir da Edição original do Estado do Paraná/1998.
Leia a estrofe de intodução do referido Cordel:

A África é um continente
De cultura diversificada
São os nossos ascendentes
Devendo ser respeitada
Por todos os brasileiros
Deve ser valorizada.

Mais 13 estrofes foram publicadas e vale a pena conhecer. O conteúdo oportuniza uma aprendizagem valiosa e agradável para os profissionais das diversas áreas, alunos e público em geral.

A África pelo olhar de um poeta do cordel
„„Leia com atenção os versos a seguir, de Juarez AlencarPereira:

A África de todos nós

A África é um continente
De cultura diversificada
São os nossos ascendentes
Devendo ser respeitada
Por todos os brasileiros
Deve ser valorizada.

Esta terra tem belezas
É um continente gigante
Tem savanas e desertos
E uma cultura brilhante
A terra dos orixás
De um povo fascinante.

Lá estão nossas origens
Devido a colonização
Trouxeram os africanos
Para a escravização
Fazendo assim no Brasil
A grande miscigenação.

África do rio Nilo
Da grande civilização
Refiro-me ao Egito
Com toda a criação
Hieróglifos e pinturas
Pirâmides e mumificação.

Um grande evento ocorreu
Em nome do capitalismo
Numa exploração terrível
Chamada de colonialismo
Era a corrida desenfreada
do famoso imperialismo.

Cada país europeu
Começou esse trabalho
Invadiram toda a África
Sendo esse o atalho
E o continente africano
Virou colcha de retalho.

Depois de muitos anos
Que a África foi dominada
Pela ganância européia
Ela foi espoliada
Política e culturalmente
Ficando assim arrasada.

Nasceu assim um desejo
Em prol da libertação
Criou-se um movimento
Visando a emancipação
Iniciando na África
A descolonização.

O regime de apartheid
Promoveu a segregação
Dos povos da África do Sul
Gerando insatisfação
Destacando-se Mandela
Na luta pela libertação.

A respeito de Mandela
Grande líder popular
Foi preso por vinte anos
Mas continuou a sonhar
De ver na África do Sul
Esse regime acabar.

Após a libertação
Desse líder insistente
Chegou a vez de seu povo
Ter um governo decente
Fizeram de Mandela
Ser um negro presidente.

A África do Sul é rica
Em produção de diamantes
Em pleno desenvolvimento
48 milhões de habitantes
Possui nove etnias
E todas são relevantes.

África do Sul é um país
África é um continente
Nunca confunda isto
Fique assim bem ciente
Apesar de parecer
São coisas bem diferentes.

Esse é um pequeno relato
Da história africana
Enfocando os desmandos
Da Europa soberana
Que atormentou a África
Com as incursões tiranas.

Esse belo continente
De sofrimento algoz
É parte de nossa cultura
Digo em alta voz
Me refiro com orgulho
A África de todos nós!

Juarez Alencar é pernambucano de Exu, terra de Luiz Gonzaga,
e tocantinense por adoção. Professor de História em
Colinas (TO) foi assessor de currículo de História e atualmente
Coordenador do Programa da Aceleração da Aprendizagem
da DRE-Colinas É autor de inúmeros trabalhos na área de
cultura popular e promove oficinas de cordel nas escolas.
OBS: Texto copiado na íntegra da publicação do material do CENPEC.

PRODUÇÃO DE LITERATURA DE CORDEL DOS ALUNOS DO GRUPO DE CORDELISTA DE COLINAS



O encontro do grupo de Cordelista de colinas do mês de novembro foi um sucesso com a participação significativa dos alunos membros. Trabalhamos com a temática da semana da consciência negra.

HOMENAGEM DA ALUNA RENATA AO
CORDELISTA JUARÊS

Colinense de coração
Pernambucano chamado
Professor de história
E cordelista formado.

Um homem de sabedoria
E com enorme coração
Querido por muita gente
Que por ele tem afeição.

Professor excelente
É Juarez Alencar
Cordelista de primeira
Que sabe nos alegrar.

Criou várias obras
Que em Colinas estar
Espalhadas nas escolas
Para nos orientar.

Nas palavras te agradeço
E posso sim te dizer
Deus que te ilumine sempre
Para as suas obras fazer.

Eu venho te agradecer
E com garra vou falar
A você muito obrigada
Professor Juarês Alencar.

Autora:Renata,9º ano.

Dia da Consciência Negra

Data sempre lembrada
Por toda esta nação
Que enaltece a Zumbi
Líder da libertação
Este grande brasileiro
Lutou contra a escravidão.

Deixou seu nome na história
Jamais será esquecido
Lutou com todas as forças
E sempre foi destemido
Defendeu todo o seu povo
Que vivia oprimido.

O quilombo dos palmares
Foi palco da resistência
Reunindo os fugitivos
Tomando as providências
E hoje o Brasil celebra
O dia da consciência.

Data significativa
De luta e reflexão
O povo negro celebra
Sua auto-afirmação
Quebremos os preconceitos
E não a discriminação.

Juarês Alencar Pereira.



RACISMO NÃO!

O dia vinte de novembro
É dia de se festejar
A memória do zumbi
Temos que recordar

Não podemos nos esquecer
Dos negros das senzalas
O racismo que temos
Isso não abre alas

Os tempos vão e voltam
E sempre há preconceito
Nunca podemos julgar
E nem agir desse jeito

Anestor – 9º ano B
Esc. Est. Ernesto Barros.


CONSCIÊNCIA NEGRA

Dia vinte de novembro
É grande a celebração
Para os afro-brasileiros
Tudo é comemoração.

Vamos sim deixar de lado
Todos os nossos conceitos
Misturando-se as cores
Para não ter preconceitos.

Sem  vergonha de falar
Sou uma afro-descendente
Com origem e tradição
Vindas dos antecedentes.

Dessa mistura das raças
Vamos nós observar
Que todos os brasileiros
Não podem dela escapar.

Brasileiro sem cerimônia
Já chega logo falando
Que é afro-descendente
E vive se orgulhando.

Renata – 9º ano B.

Dia “D” da Leitura Escola Presbiteriana

O dia “D” da leitura
É sempre especial
Pois ela desenvolve
O nosso intelectual
Amplia a nossa visão
Sobre o mundo atual.

Não fique de fora dessa
Adote você também
Tenha o hábito da leitura
Que a todos só faz bem
Conheça agora mesmo
O valor que ela tem.

Nesse dia tão legal
Nessa Escola tão bacana
O conhecimento flui
E com todos se irmana
O melhor dia “D” é aqui
Na escola Presbiteriana.

Parabéns a esta Escola
Que cumpre sua missão
Educa e evangeliza
Com ensinamento cristão
Na cidade de Colinas
É sinônimo de educação.

Com seu trabalho exemplar
Em Colinas faz história
Só em Deus salta barreiras
Conquista sempre vitória
Servidores e alunos
Rendem a Deus graça e glória.

Parabéns a toda equipe
Desejo sempre sucesso
Deixo aqui o meu apreço
Através de rima e verso
Quem vos fala é Juarês
Eu reafirmo e atesto.
Juarês (19-11-2010).

EMPREENDEDORISMO

Temos o empreendedorismo
Com foco nessa questão
Relato aqui nesses versos
Me preste bem atenção
Invista bem nos negócios
Para não ficar na mão.

Pra se abrir uma empresa
Requer do empreendedor
Saber o saldo do caixa
Sua quantia e valor
Garantindo o sucesso
E retorno ao investidor.

Com relação aos produtos
Que se pretende vender
Analise bem os mesmos
Para não se arrepender
Pesquise a clientela
Que você vai atender.

Uma estratégia de mercado
Sempre boa é a promoção
Pra vender o ano inteiro
É a melhor opção
Você conquista o cliente
Nessa tática de atração.

Invista assim no marketing
Aposte na propaganda
Ela é a alma do negócio
Para que cresça e se expanda
O retorno é garantido
E sua empresa não desanda.

Tudo que expor á venda
Prime pela qualidade
Será boa a aceitação
E sai com facilidade
E a empresa com o cliente
Ganha a credibilidade.


Funcionários de uma empresa
Precisam ser bem treinados
E sobre os artigos de venda
Tem que ta bem informado
Ser também receptivo
É exigência de mercado.

O comércio é um negócio
Que trata direto com vendas
Para expandir o mesmo
E aumentar sua renda
Trate bem o seu cliente
A essa lógica atenda.

Ao abrir uma empresa
Lembre logo diante mão
Pois o mercado requer
Rapidez na informação
Por isso corra ligeiro
Para a informatização.

Com relação aos produtos
Verifique bem os preços
Olhe a margem de lucro
Pra não cometer tropeço
Venda muito á preço bom
Pois não vender é desleixo.

Juarês Alencar Pereira.